fbpx
0

Falar exige ações nos dois lados do cérebro, mostra estudo.

O ato de falar exige uma ação mais sofisticada do cérebro do que se pensava, mostra um novo estudo conduzido por pesquisadores da Universidade de Nova York, nos Estados Unidos, e publicado pela revista especializada Nature. De acordo com o estudo, o processo neurológico que liga comandos motoros a sons,...

0

Neurociência pode ajudar a treinar seu cérebro para o negócio

(Bloomberg) — O preço de uma ação está subindo e descendo na sua tela. Você avalia racionalmente as probabilidades de o preço subir antes de fechar o negócio? Ou obedece aos seus instintos? Você pode preferir achar que a capacidade superior — aquele misterioso fator X que alguns traders parecem...

0

Afeto é importante para o desenvolvimento cerebral de crianças

Afeto: é fundamental que aprendam as coisas que podem e que não podem fazer (Thinkstock) O carinho e o contato físico são fundamentais para o pleno desenvolvimento cerebral das crianças, afirma o neuropsicólogo espanhol Álvaro Bilbao, que se dedica a ajudar pessoas com danos cerebrais a melhorar a memória e...

0

A importância da Neurociência na Educação

Os avanços e descobertas na área da neurociência ligada ao processo de aprendizagem é sem dúvida uma revolução para o meio educacional. A Neurociência da aprendizagem, em termos gerais, é o estudo de como o cérebro aprende. É o entendimento de como as redes neurais são estabelecidas no momento da...

0

Estudo analisa como crescimento de neurônios é regulado

“Nossos dados sugerem que os neurônios tendem a projetar os axônios para as regiões mais macias do tecido e evitar as áreas mais rígidas”, diz professor Neurônios: “durante o desenvolvimento embrionário, os animais projetam os axônios para fora da retina e formam os nervos ópticos”, afirma professor (Getty Images/) Durante...

0

A Neurociência e o Halloween

Por Laiali Chaar – English version Um estudo publicado domingo por neurocientistas da Universidade de Michigan mostrou que um filme ou uma série de terror pode deixar algumas pessoas se sentindo assustadas e ansiosas até 13 anos depois causando problemas para comer, dormir, náuseas, aumento dos batimentos cardíacos e medo...