fbpx

A inteligência Artificial pode prever nossa personalidade apenas pelo movimento de nossos olhos – Paula Simurro

Quantas vezes não falamos que sabemos que alguém está apaixonada, apenas pela maneira como olha para a pessoa amada? Ou, que aquela pessoa é confiável, pois olha nos olhos?
A ciência vem estudando as relações entre os olhos e certas características cognitivas do ser humano, e adivinha?
Muito do que acreditamos sobre “os olhos serem a janela da alma”, pode ser possível.

Estudos científicos mostraram que uma das maneiras que entendemos, prevemos e explicamos o comportamento e os estados emocionais dos outros, é pela maneira como os olhos deles se movem. Outros, que a dilatação de nossa pupila demonstra que estamos prestando atenção em determinada informação.

E mais ainda, pesquisas sugerem que a maneira pela qual movemos nossos olhos é modulada por nossa personalidade. Pessoas otimistas, por exemplo, gastam menos tempo inspecionando estímulos emocionais negativos do que os pessimistas.

Os traços de personalidade, são comumente avaliados através do método conhecido como Big Five, o qual consiste em um modelo de compreensão da personalidade, em que as características do indivíduo podem ser avaliadas de acordo com cinco dimensões.: abertura (interesse por ideias fora do comum, imaginação, curiosidade, e variedade de experiências), conscienciosidade (tendência para mostrar autodisciplina, orientação para os deveres e para atingir os objetivos), extroversão (caracterizada por emoções positivas e pela tendência para procurar estimulação e a companhia dos outros), neuroticismo (tendência para experienciar emoções negativas) e agradabilidade (tendência para ser compassivo e cooperativo). A avaliação tem sido extensivamente utilizada em trabalhos científicos, psicológicos e mesmo, para definições de personas, ao definir perfis de comportamento de clientes e colaboradores em empresas.

Agora, com a ascensão cada vez maior da inteligência artificial, temos um novo salto nas pesquisas.
Uma pesquisa recente desenvolveu um algoritmo capaz de reconhecer fatores de traços de personalidade do Big Five, apenas pelos movimentos dos olhos das pessoas pesquisadas. Os resultados são muito relevantes, abrindo caminho para o aumento da capacidade de detectar comportamentos e permitindo personalizações cada vez mais eficientes.

O leque que se abre em razão de pesquisas que relacionam inteligência artificial e psicologia/psiquiatria é monumental, tanto para a área da saúde e sociedade em geral, como para empresas que precisam conhecer melhor seus clientes e colaboradores.

A inteligência artificial (IA) já é uma realidade em nossas vidas, e estará cada vez mais inserida em nosso dia-a-dia. Analistas preveem que até 2045, a IA poderá fazer a maioria das atividades humanas. Ao invés de termos medo do que podemos perder com essa nova realidade que nos é apresentada, temos que nos voltar para as grandes descobertas e saltos que a tecnologia pode nos trazer, fazendo com que nosso grande trunfo seja sabermos usa-la ao nosso favor.

Referência: “Eye Movements During Everyday Behavior Predict Personality Traits”, Sabrina Hoppe, Tobias Loetscher, Stephanie A. Morey e Andreas Bulling; Frontiers in Human Neuroscience. Abril, 2018. doi:10.3389/fnhum.2018.00105

Você também pode gostar...

3 Responses

  1. Fábio disse:

    Olá, Pode me dizer quais estudos?

  2. Cassiane disse:

    Olá! TB gostaria de ter acesso aos estudos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *