fbpx

Como as estações do ano influenciam nosso cérebro?

estações do ano

Assim como a queda sazonal das folhas ou o aumento da incidência de luz solar influenciam a vida das plantas, o cérebro pode ter um ritmo interno ligado ao padrão das estações do ano, de acordo com um estudo recentemente publicado na revista Proceedings of the National Academy of Sciences.

Os pesquisadores da Universidade de Liège, na Bélgica, observaram os processos cerebrais cognitivos de 28 indivíduos jovens em diferentes momentos ao longo do ano. Os indivíduos foram convidados a permanecerem no laboratório por quatro dias e meio antes de serem submetidos aos testes, longe das condições sazonais, expostos a níveis de luz e temperatura artificialmente constantes. O objetivo dessa medida era “aclimatar” os voluntários e minimizar os fatores ambientais daquela determinada época de uma forma geral a todos.

Os participantes eram submetidos a dois testes – aplicados separadamente – de atenção e de tarefas de memória de trabalho, e suas atividades cerebrais eram monitoradas através de um exame de ressonância magnética funcional.

Videogame neuroracer
Curiosamente, muitas das ondas cerebrais dos participantes pareciam seguir um padrão sazonal. Os níveis de atividade cerebral na tarefa de atenção atingiram o pico em junho (fim da primavera e início do verão no hemisfério norte) e foram mais baixos em dezembro (início do inverno no h.norte). Como foi explicado pelo Live Science, estes são pontos próximos ao solstício de verão e solstício de inverno, respectivamente. Por outro lado, as respostas do cérebro durante o teste de memória foram maiores no outono e inferiores em torno de primavera.

Os resultados sugerem que, dependendo da época, diferentes áreas do cérebro têm que trabalhar mais para sustentar certas funções cognitivas. Essencialmente, os pesquisadores dizem que a fisiologia do cérebro pode alterar para compensar a estação, o que poderia estar relacionado com níveis diferentes de ingestão de calorias.

Ao invés de ser o resultado de fatores externos, tais como o efeito físico do tempo sobre o corpo, os cientistas sugerem que esses padrões são mais como um relógio sazonal interno. Segundo eles, isto poderia ter se desenvolvido entre os primeiros seres humanos, dando-lhes uma vantagem evolutiva, ajudando-os a lidar com diversos fatores externos.

“Os seres humanos eram muito dependentes de estações há alguns milhares de anos atrás, por isso não é surpreendente ver sazonalidade em seres humanos como ocorre na maioria das espécies”, completam os autores do estudo.
Você já conhece nosso programa de treino cerebral desenvolvido para fortalecer as funções cognitivas “das raízes para cima”?

 

Cérebro árvore

 

Raízes saudáveis capazes de absorver nutrientes abundantes e água geram um tronco forte, folhas mais brilhantes e mais frutas. Um exercício cognitivo do nosso programa online de treino fortalece o cérebro das raízes para cima. Esta abordagem é diferente de muitos outros programas, os quais ensinam ao cérebro os “truques” para lembrar, ou treinam o cérebro somente com exercícios de memória diretamente. Uma série de estudos científicos demonstram que tal foco sobre colher os frutos, ignorando as raízes, só tem benefícios limitados.

A abordagem que vai das raízes para cima enfatiza a generalização ou a extensão dos benefícios para além da tarefa treinada. Aqui está um exemplo: ao usar um programa em que você pratica a memorização de uma lista de compras, isso pode ajudá-lo a se tornar bom em lembrar uma listas de compras.

Fonte: NeuroForma

Você também pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *